Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Comentários sobre cinema, séries, televisão e entretenimento. Você confere aqui o que vale a pena maratonar e assistir na telona, assim como os seriados marcantes e os temas que despertam o interesse de um entusiasta da cultura pop.

Gustavo Bruning é jornalista, repórter do Notícias do Dia, colecionador de filmes e fã incondicional do gênero terror.

  • Como as tentadoras viagens no tempo, fascinantes na ficção, são dispensáveis no mundo real

    Diante das rotinas e do cotidiano, não é raro nos depararmos com a noção de que não temos controle suficiente de nossas vidas. De que tudo apenas segue acontecendo e somos apenas personagens prisioneiros da grande narrativa que nos cerca. Como se o livre arbítrio existisse, mas o curso natural prevalecesse. A verdade, ainda assim, é que temos muito mais poder do que jamais iremos presumir. No fim das contas, somos as únicas variáveis que temos capacidade, na prática, de administrar. Não estamos distantes dos nossos ídolos, chefes ou referências. O que nos separa destes são as escolhas e o empenho empregado na conquista das metas.

    Domhnall Gleeson e Rachel McAdams em
    Domhnall Gleeson e Rachel McAdams em "Questão de Tempo" - Divulgação/ND


    Em meio a uma conversa sobre até onde vai a nossa capacidade para mudar o que julgamos insatisfatório, lembrei de um filme que assisti no cinema há cinco anos. "Questão de Tempo", escrito e dirigido por Richard Curtis ("Simplemente Amor e "O Diário de[...]

    Leia mais
Publicidade
Publicidade