Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Comentários sobre cinema, séries, televisão e entretenimento. Você confere aqui o que vale a pena maratonar e assistir na telona, assim como os seriados marcantes e os temas que despertam o interesse de um entusiasta da cultura pop.

Gustavo Bruning é jornalista, repórter do Notícias do Dia, colecionador de filmes e fã incondicional do gênero terror.

De 'Grease' a 'Harry Potter': show da Camerata Florianópolis une trilhas famosas do cinema

Com homenagens a 'Star Wars', 'O Mágico de Oz' e 'Piratas do Caribe', a apresentação da orquestra reuniu centenas de pessoas neste domingo, no trapiche da Beira-Mar, na Capital

Gustavo Bruning
22/05/2018 22h48

O termômetro marcando 19°C não impediu que a Camerata Florianópolis levasse o público para uma viagem no tempo por diferentes períodos da sétima arte na noite deste domingo (20). A primeira apresentação ao ar livre do espetáculo “Música para Cinema” foi realizada próximo ao trapiche da avenida Beira-Mar Norte e reuniu uma seleção com algumas das melhores trilhas-sonoras da telona e da telinha. De “...E o Vento Levou” (1939) e “Perfume de Mulher” (1992) a “Harry Potter e a Pedra Filosofal” (2001) e “Game of Thrones” (2011), a apresentação cativou crianças, jovens e adultos.

Camerata Florianópolis apresentou a primeira edição ao vivo do espetáculo
Camerata Florianópolis apresentou a primeira edição ao vivo do espetáculo "Música para Cinema" - Gustavo Bruning/ND


Enquanto alguns balançaram a cabeça no ritmo da música tema de Indiana Jones, composta pelo espetacular John Williams para “Os Caçadores da Arca Perdida” (1981), outros arriscaram uns passos tímidos ao som da versão orquestral de “Summer Nights”, do musical “Grease: Nos Tempos da Brilhantina” (1978).

A orquestra, comandada pelo maestro Jeferson Della Rocca, iniciou o show às 18h20, e, durante pouco mais de uma hora, apresentou 18 músicas. O tom cinematográfico já ficou evidente quando os músicos abriram a noite com a vinheta da 20th Century Fox. Em três telões, o público pôde acompanhar cenas dos filmes cujas trilhas estavam sendo apresentadas.

Optei por não olhar o programa do show, distribuído no local, e me surpreender com o repertório. Apesar disso, não conseguir ignorar a empolgação de algumas crianças que o leram em voz alta. A primeira trilha homenageada foi a da trilogia O Senhor dos Anéis, composta por Howard Shore e vencedora de dois Oscar no início dos anos 2000. Em seguida, um ode aos filmes de Charles Chaplin fisgou outra parte do público. Essa foi a grande sacada da apresentação: equilibrar trilhas de diferentes gêneros e épocas em uma seleção harmoniosa.

A Camerata Florianópolis é regida pelo maestro Jeferson Della Rocca - Gustavo Bruning/ND
A Camerata Florianópolis é regida pelo maestro Jeferson Della Rocca - Gustavo Bruning/ND


O romance turbulento de “...E o Vento Levou” foi seguido pelas cenas de Harrison Ford em seu papel mais icônico "Olha o Indiana Jones!", gritou uma menina mais à frente. Em seguida, a soprano Carla Domingues subiu ao palco para uma de suas três participações. As cores e a inocência de “O Mágico de Oz” (1939) garantiram ao show o seu momento mais tocante quando a orquestra apresentou “Over the Rainbow”, que precedeu um medley da saga Star Wars (não é à toa que John Williams é um gênio).

“Essa é linda”, disse uma senhora sentada no gramado, à minha frente, assim que ouvimos as primeiras notas da trilha de “Cinema Paradiso” (1988). Pouco tempo depois, lembrou a colega que tinha a fita de “Grease”. “Chorei umas três vezes vendo esse filme”, comentou.

O show animou a criançada novamente com o tema da Pantera Cor-de-Rosa, que foi seguido pelas trilhas do drama “Perfume de Mulher” e da série “Game of Thrones” – neste último, a vibração e grandiosidade da música podia ser sentida no chão. Após a performance de um trecho de "O Quinto Elemento" (1997), me questionei porque ainda não vi esse filme. Depois foi a vez dos memoráveis temas de "Rocky: Um Lutador" (1976) e "Pulp Fiction: Tempo de Violência" (1994), que, por um momento, transformou a apresentação em um show de rock.

O segmento principal chegou ao fim com o tema da franquia Piratas do Caribe, composto por Klaus Badelt. No palco, era como se Jeferson Della Rocca fosse o capitão e, em meio às luzes e a energia do público, conduzisse a sua tripulação – a orquestra – para o alto-mar das obras exibidas nos telões. Ainda assim, o time se superou no bis, com o grandioso “Skyfall”, de “007 - Operação Skyfall” (2012), e trechos das minhas faixas favoritas da franquia Harry Potter.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade