Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Pão e vinho: a mais clássica das misturas, com o toque refinado de um especialista na arte da panificação e na enologia. Conheça os tipos de vinho, as características de cada um, as maneiras de harmonizar a bebida com as mais variadas refeições. Imperdível.

Vinhos de altitude estimulam a enogastronomia em Santa Catarina

João Lombardo
João Lombardo / ND
Um caminho novo para a enogastronomia catarinense

A vitivinicultura de altitudes está contribuindo para o desenvolvimento de uma enogastronomia puramente catarinense. Vinhos produzidos no estado começam a encontrar parcerias sólidas com receitas tradicionais e contemporâneas elaboradas na serra, litoral e capital. Uma prática que nasceu em países e regiões europeias, alastrou-se pelo mundo e agora chega a Santa Catarina, com a consolidação de uma nova vitivinicultura.

 

Tainha e Sauvignon, uma deliciosa parceria

Uma harmonização puramente catarinense é a da tainha, assada, frita ou escalada, com os vinhos de Sauvignon Blanc produzidos nas altitudes. Frescos, cítricos, frutados e agradavelmente herbáceos, os Sauvignons estão se consolidando como um grande produto da serra catarinense. Por ser um peixe gordo, a tainha pede um vinho com boa acidez, capaz de desfazer essas gorduras. E os vinhos catarinenses de Sauvignon Blanc têm esse atributo, junto de um bom teor alcoólico e rica aromaticidade. O Sauvignon também fica muito bem com a anchova. Acesse https://www.youtube.com/watch?v=j2fZCWhxD5U e veja como escalar uma tainha e os comentários sobre a harmonização com Sauvignon Blanc.

Decanter / Divulgação
Ilha da Madeira: vinhos únicos e paisagem deslubrante

 

Os vibrantes vinhos Madeira 

Muita gente associa o vinho Madeira apenas a preparos culinários. É um engano. O Madeira é um dos grandes vinhos fortificados do mundo, com um importante diferencial: a acidez. O que se procura num vinho doce é acidez, para que ele tenha equilíbrio e vibração. Vinho doce sem acidez não emociona. O vinho Madeira passa por um processo de envelhecimento oxidativo, em estufas ou pipas de madeira. Isso transforma e dá grande complexidade ao produto. Provei Madeiras do produtor Cossart Gordon (Decanter). Eles combinam com queijos intensos, foie gras, cogumelos, doces e sobremesas. E são perfeitos para o charuto. Depois de provar um bom Madeira, seguramente você pensará pelo menos duas vezes antes de leva-lo à panela.

 

Decanter / Divulgação

Verdelho 5 Years Old Medium Dry (70 g de açúcar residual) – Cor âmbar claro. Aromas de laranja confitada, frutas secas, frutas em passas, especiarias. Acidez vibrante, doçura equilibrada. Ótimo custo x benefício (R$ 157,70).

 

Decanter / Divulgação

Bual 15 Years Old Medium Rich – (90 g de açúcar residual) – Cor âmbar. Complexo, fino. Aromas de figos, tâmaras, ameixas em licor, baunilha, iodo, chocolate. Longo em boca, acidez deliciosa, muito intenso, equilibrado (R$ 366,20).

 

Villaggio Grando / Divulgação

Merlot em taças descartáveis

A Villaggio Grando, de Água Doce, lançou esta semana seu vinho Merlot 2012 em taças descartáveis. As taças têm 187 ml e, segundo produtor, não alteram o sabor do produto, que é resultado de uma parceria com a empresa Furniel&DeLuca. O valor deve ficar entre R$ 15 e R$ 17 a taça.

 

Vinhos de garagem na ABS-SC

O produtor Rogério Gomes, dos vinhos de garagem Quinta da Figueira, vai colocar seus vinhos em degustação, em evento da Associação Brasileira de Sommeliers – SC, no próximo dia 30. Informações pelo número  (48) 9973-1651.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade