Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Pão e vinho: a mais clássica das misturas, com o toque refinado de um especialista na arte da panificação e na enologia. Conheça os tipos de vinho, as características de cada um, as maneiras de harmonizar a bebida com as mais variadas refeições. Imperdível.

Lírica Crua: conheça as origens do vinho espumante

Leia também: restaurante de Florianópolis não cobra taxa de rolha

João Lombardo

Lírica Crua: as origens do vinho espumante

Divulgação/Decanter/ND

Acaba de chegar ao mercado o espumante Lírica Crua, da vinícola gaúcha Hermann. O espumante remete aos primórdios do champagne, quando o festejado vinho era bebido com os resíduos das leveduras da segunda fermentação. Foi assim por quase 150 anos, até a maison Veuve Clicquot desenvolver a técnica de limpeza do champagne, em 1816. 

O Lírica Crua é elaborado com 80% de Chardonnay, 10% de Pinot Noir e 10% de Gouveio. A garrafa é fechada com uma tampa metálica, igual à de cerveja. Na cor, vê-se uma leve turbidez trazida pelas leveduras em suspensão. Frutas brancas e cítricas revelam-se ao olfato, ao lado de notas de pão e fermento. Em boca é cremoso e com agradável austeridade. Um espumante nature, com amadurecimento de dois anos em garrafa, com as leveduras. Perfeito com saladas e frituras do mar, ostras empanadas, peixes gordos e sushi. Valor de catálogo – R$ 69,40. Decanter. 

 

Uma carta portuguesa, com certeza

A Marisqueira Sintra, de Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis, oferece uma carta de vinhos quase que exclusivamente portuguesa. São mais de 130 rótulos, de espumantes a fortificados, passando por brancos, rosados e tintos. Só vinhos Verdes, são 20 rótulos. A carta é variada, há vinhos para todos os pratos, gostos e bolsos. Os preços começam abaixo dos R$ 50,00. Um dos tops da carta é o lendário Pera Manca. Em tempo: os vinhos portugueses estão em alta, no Brasil e no mundo. Eles apresentam uma grande diversidade de estilos e excelente relação preço x qualidade.

  

Vinho e hambúrguer: sem estresse

 

Divulgação/Decanter/ND

O Lambrusco seco é mais indicado

O Hambúrguer está na moda. Um tipo de refeição descontraída, que está se tornando tão popular quanto a pizza. E, apesar do chope e da cerveja serem companheiros naturais, hambúrgueres podem ser bem acompanhados por vinhos, sejam eles brancos, rosados ou tintos. Sem estresse. Hambúrgueres de vegetais e carnes brancas vão bem com vinhos brancos de boa intensidade, rosés e tintos leves. Tintos de médio corpo casam com hambúrgueres de carnes bovina e ovina. Por ser também um produto descontraído, o Lambrusco pode ser um curinga. Considere seu gosto pessoal e faça sua escolha.

 

Rolha Zero no Rita Maria

Divulgação/Rita Maria/ND

O Centro Gastronômico Rita Maria não cobra taxa de rolha para quem quiser levar seu próprio vinho ao restaurante. A prática não é adotada pela maioria dos restaurantes, que investem em taças, rótulos e estrutura de serviço e querem vender seus vinhos. Daí ser feita a cobrança da taxa de rolha para quem leva vinho ao restaurante, para pagar o serviço. “Manter um estoque de vinhos é caro”, admite Narbal Corrêa, do Rita Maria. Mas foi isso que o levou a adotar a rolha zero. A intenção foi reduzir o custo com estoque. “É preciso coragem para aplicar a rolha zero. Ela, de fato, traz custos para o restaurante. Custos com taças, gelo. Mas considero vantajoso. No mínimo, a prática é simpática com o cliente”, comenta Narbal. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade