Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Pão e vinho: a mais clássica das misturas, com o toque refinado de um especialista na arte da panificação e na enologia. Conheça os tipos de vinho, as características de cada um, as maneiras de harmonizar a bebida com as mais variadas refeições. Imperdível.

Dois pequenos vinhedos produzem uvas viníferas em Florianópolis

No bairro João Paulo, há videiras de Syrah e Cabernet Sauvignon, e na praia da Lagoinha, Merlot e Malbec

João Lombardo
Adolfo Corrêa/Divulgação

Florianópolis já tem pelo menos dois pequenos vinhedos de uvas viníferas. Um deles, com 60 videiras de Syrah e Cabernet Sauvignon, produzindo uvas e vinhos, fica no bairro João Paulo. O outro tem 250 plantas de Merlot e Malbec, fica na praia da Lagoinha e a previsão de colheita é para 2017. Um fato novo na história do vinho catarinense.

 

Adolfo Corrêa/Divulgação
O vinhedo dentro da cidade

 

Vinhedo do João Paulo

O pequeno vinhedo do bairro João Paulo foi plantado em 2010 pelo enófilo Adolfo Corrêa, ex-presidente do Clube do vinho de Florianópolis. As videiras estão em sua casa, a cerca de 250 metros do mar, sobre solo argilo-arenoso. A primeira safra gerou 40 garrafas do Flória, um corte de Syrah e Cabernet. Em 2014 a produção dobrou, foram 80 garrafas com um novo rótulo, o Sonhoreal. A safra de 2015 está em elaboração. Os vinhos são feitos pelo próprio Adolfo, numa adega no subsolo da casa. Eles são frutados, têm notas condimentadas, bons taninos, corpo e acidez agradáveis. O enófilo prepara o terreno para plantar mais 40 videiras. Mas os vinhos não estão à venda, são para consumo próprio. 

Adolfo Corrêa/Divulgação

Vinhedo da Lagoinha

O vinhedo da praia da Lagoinha foi plantado em 2013 e pertence a Rogério Gomes, produtor dos vinhos de garagem Quinta da Figueira (www.quintadafigueira.com.br). “Pretendo elaborar 500 garrafas de vinhos, em 2017, com as uvas da Lagoinha”, informa Gomes. O projeto é comercial. A área do vinhedo, plantado na areia, a 150 metros do mar, é de 0,4 hectare. “Dependendo do resultado, vou buscar uma área maior”, afirma o produtor, que elabora seus vinhos numa casa no bairro do Abraão, majoritariamente com uvas das altitudes catarinenses. Provamos dois rótulos da Quinta da Figueira.

 

Flor de Guarapuvu Chardonnay 2014 Orange Wine

Divulgação/Quinta da Figueira/ND

Cor amarelo dourada. Aromas cítricos, casca de laranja, notas de açúcar queimado, destilaria, especiarias, cravo e gengibre. Diferente. Boa acidez, agradável em boca. R$ 54,50.

 

La Purpurata Cabernet Sauvignon/Merlot 2012

Divulgação/Quinta da Figueira/ND

Cor rubi profunda. Aromas de frutas negras, notas tostadas, de especiarias, coco, chocolate, louro. Boca com gostosa acidez, boa estrutura, taninos macios. R$ 139,50.

 

 

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade