Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Todas as novidades do Carnaval de Floripa: as festas programadas, bastidores e o aquecimento dos tamborins até o grande dia da festa!

  • Da ala das crianças à velha guarda, Dona Lica é a história viva da Protegidos da Princesa

    Dos 70 anos que a escola de samba Os Protegidos da Princesa completa em 2018, Dona Lica lembra de desfilar há pelo menos 64 pela agremiação mais antiga da cidade. Seja na praça 15 de Novembro, na Avenida Paulo Fontes ou na passarela Nego Quirido, a história da Protegidos e do samba de Florianópolis é também a história de Eli de Souza Neves, de 67 anos. A partir desta edição, o Notícias do Dia vai apresentar histórias de pessoas ligadas às seis escolas do Grupo Especial do Carnaval de Florianópolis.

    Dona Lica com a neta Lorena Ribeiro Neto, que acompanha a avó nos ensaios da Protegidos - Daniel Queiroz/ND
    Dona Lica com a neta Lorena Ribeiro Neto, que acompanha a avó nos ensaios da Protegidos - Daniel Queiroz/ND

    Filha de Dona Didi e Antonio de Oliveira, que ajudaram a fundar a Protegidos em 1948, Dona Lica viu desde pequena a casa onde morava virar a sede da Protegidos. O envolvimento dos pais e dos vizinhos do Centro da cidade com o Carnaval fez Dona Lica tomar gosto pelo samba e, desde que começou a desfilar na ala das crianças, não parou mais.

    “Nesta época[...]

    Leia mais
  • Dona Uda Gonzaga: uma história dedicada à Copa Lord e ao Carnaval da cidade

    Nascida e criada no Mont Serrat, Dona Uda Gonzaga faz parte da história da escola de samba Copa Lord e é um dos maiores nomes vivos do Carnaval da cidade. Professora por décadas, ela faz dos moradores da comunidade seus filhos e carrega consigo um bom pedaço da história da agremiação. Em 2014, sua dedicação à escola de samba e à comunidade foram exaltadas pela Copa Lord com o enredo “Quem você pensa que é sem a força da mulher?”.

    Dona Uda Gonzaga: uma história de amor com a Copa Lord - Daniel Queiroz/ND
    Dona Uda Gonzaga: uma história de amor com a Copa Lord - Daniel Queiroz/ND

    Prestes a completar 80 anos, Maria da Costa Lourdes Gonzaga só foi se interessar pelo Carnaval depois que começou a namorar com Armandinho Gonzaga. Vindo da Protegidos da Princesa, Armandinho era um apaixonado por Carnaval e foi fundamental para a história da Copa Lord, fundada 1955. Dez anos após a criação da escola, a sede da agremiação foi inaugurada com a ajuda de vários diretores. “Eram 15 diretores. Eles juntaram o dinheiro do mês de[...]

    Leia mais
  • Atual campeã do Carnaval, Unidos da Coloninha surgiu como bloco mirim em 1962

    Os amigos Natalício Sizenando da Cunha, 90, e Salos Miranda, 69, viveram os primeiros anos da criação da escola de samba Unidos da Coloninha, na década de 1960. Entre uma memória e outra, eles lembram com saudade da alegria, da emoção e do suor da construção da única escola do Continente que está de pé até hoje.

    Natalício Sizenando Cunha e Salos Miranda viveram o início da escola de samba Unidos da Coloninha - Marco Santiago/ND
    Natalício Sizenando Cunha e Salos Miranda viveram o início da escola de samba Unidos da Coloninha - Marco Santiago/ND

    Com os irmãos, cunhado e amigos, Natalício Sizenando da Cunha decidiu criar um bloco mirim de Carnaval em 1962. “Eu trabalhava numa firma que tinha barricas e levava elas pra fazer surdo pra gurizada. Desfilamos por três anos na Praça 15 de Novembro como bloco mirim”, relembra ele. Nesta mesma época, Salos Miranda criou um time de futebol com os amigos e, quando o time se desfez, eles decidiram apostar em um outro tipo de diversão para passar o tempo.

    “A gente pegava lata de azeite de 18 litros e lata de tinta e ficava[...]

    Leia mais
  • História da Consulado: projetos sociais, relação com o Rio de Janeiro e muita superação

    Nascida no berço do Carnaval, no Rio de Janeiro, Graça Carneiro, 66 anos, encontrou na escola de samba Consulado um pedacinho do Rio quando chegou a Florianópolis. Torcedora do Salgueiro, ela desfilou e também trabalhou na escola carioca com o lendário carnavalesco Joãosinho Trinta, que é tema do enredo da Consulado este ano. Graça mudou-se para Florianópolis em 1989, quando a escola da Caeira do Saco dos Limões já havia se firmado como bloco e começava a desfilar como escola de samba. Desde então, dedicou boa parte de sua vida à agremiação e a projetos sociais na comunidade.

    Graça Carneiro coordenou durante anos um projeto social na Caieira do Sacos dos Limões - Marco Santiago/ND
    Graça Carneiro coordenou durante anos um projeto social na Caieira do Sacos dos Limões - Marco Santiago/ND

    A origem da Consulado tem forte ligação com o Rio de Janeiro e o Salgueiro – incluindo as cores vermelho e branco. Em 1976, alguns trabalhadores cariocas da então recém-criada Eletrosul decidiram criar um grupo musical para animar confraternizações. No ano seguinte,[...]

    Leia mais