Publicidade
Terça-Feira, 22 de Maio de 2018
Descrição do tempo
  • 22º C
  • 12º C

Todas as novidades do Carnaval de Floripa: as festas programadas, bastidores e o aquecimento dos tamborins até o grande dia da festa!

Seis escolas de samba desfilam neste sábado de Carnaval na Nego Quirido

Mestres-salas, porta-bandeiras, ritmistas, baianas, passistas, rainhas, princesas entram na avenida com um objetivo: manter viva a cultura do Carnaval

Felipe Alves
10/02/2018 11h49

Quando o relógio marcar 22h30 neste sábado e o alarme ecoar pela passarela Nego Quirido, o samba vai tomar conta da cidade. As escolas Dascuia, Nação Guarani, Unidos da Coloninha, Embaixada Copa Lord, Os Protegidos da Princesa e Consulado terão, cada uma, 70 minutos para apresentar na passarela o tão planejado desfile de Carnaval. Mestres-salas, porta-bandeiras, ritmistas, baianas, passistas, rainhas, princesas e centenas de componentes entram na avenida com um objetivo: manter viva a cultura do Carnaval.

Por questões financeiras, somente as seis escolas de samba do grupo Especial vão desfilar este ano. As outras 10 agremiações, dos grupos de Acesso e Acesso A, ficam de fora pelo segundo ano consecutivo. Sem o risco de rebaixamento, as seis escolas do grupo de elite vão lutar pelo troféu que, nos últimos dois anos, ficou com a Unidos da Coloninha.

Com o desfile confirmado em meados de dezembro, as escolas tiveram menos de dois meses para tirar do papel suas ideias, ensaiar com bateria e componentes, construir alegorias e confeccionar fantasias. O trabalho, aliás, deve encerrar somente neste sábado, horas (e às vezes até minutos) antes dos desfiles. O sábado será de esforço para dar conta de finalizar e entregar as fantasias de todos os componentes e garantir o acabamento aos carros alegóricos.

Do momento em que a Dascuia pisar na passarela às 22h30 de sábado até o último minuto de desfile da Consulado, às 6h45 de domingo, a RICTV Record e o Notícias do Dia vão transmitir todos os detalhes para o público em mais de nove horas de cobertura. Se a previsão do tempo se confirmar, a chuva, que insistiu em cair durante os ensaios de Carnaval em janeiro, não deve ser problema neste sábado.

Pelo 29ª vez, a passarela Nego Quirido estará pronta para abraçar as comunidades e o samba. De acordo com o superintendente de turismo e cultura, Vinicius de Lucca, tudo está em ordem para o grande espetáculo. “Foi feita a limpeza, pintura das pistas, revisão da fiação, testes de som e os últimos detalhes serão finalizados hoje. A expectativa é receber entre 20 a 25 mil pessoas”, afirma.

Este ano, a prefeitura não investiu verba pública diretamente nos desfiles. A empresa vencedora da licitação do Carnaval, a Ambev, ficou responsável por destinar verba para as escolas e também arcar com o valor da infraestrutura da Arena Central, que terá shows durante todos os dias de Carnaval. Para as quase cem atrações de blocos espalhados pelos bairros da cidade, a prefeitura investiu em grades, tendas e banheiros químicos. Tem folia até terça-feira!

Avenida Nego Quirido - Flavio Tin/ND
Às 22h, os desfiles das escolas de samba da Grande Florianópolis vão ganhar as telas da RICTV Record de todo o Estado. - Flavio Tin/ND



 

Transmissão ao vivo para todo o Estado

Às 22h deste sábado, os desfiles das escolas de samba da Grande Florianópolis vão ganhar as telas da RICTV Record de todo o Estado. A transmissão ao vivo e com exclusividade poderá ser acompanhada em alta definição. A cobertura multimídia da RIC e do Notícias do Dia estará na televisão, internet e também no jornal impresso.

Uma grande estrutura foi montada, com unidade móvel equipada para captar e distribuir imagens em alta definição, com 13 câmeras posicionadas em diferentes pontos da Passarela Nego Quirido e 90 profissionais. Serão nove horas de transmissão ao vivo. Para dar conta dessa missão, a apresentação do programa especial de Carnaval ficará por conta do jornalista Dino Montêz e da repórter Amanda Santos. Os comentários serão do músico André Calibrina e de Cristiana Tramonte, autora do livro “O Samba Conquista Passagem”.

A cobertura multimídia vai envolver todas as plataformas do Grupo RIC. O RICMais.com.br vai transmitir ao vivo pela internet em rede com a RICTV. O NDOnline.com.br  vai acompanhar todos os detalhes, com publicação de fotos, matérias e vídeos. As redes sociais do Grupo RIC vão repercutir a festa e o público pode interagir usando a #CarnavalnaRIC. Na segunda-feira, o Notícias do Dia publica um caderno especial detalhando em textos e fotos os principais momentos da avenida.

 

Desfiles

Local: passarela Nego Quirido (avenida Gustavo Richard, 5.000, Centro, Florianópolis)

Ordem:

1- Dascuia - 22h30 às 23h40

2- Nação Guarani - 23h55 às 1h05

3- Unidos da Coloninha - 1h20 às 2h30

4- Embaixada Copa Lord - 2h45 às 3h55

5- Os Protegidos da Princesa - 4h10 às 5h20

6- Consulado - 5h35 às 6h45

- A abertura dos portões será às 17h30.

 

Ingressos disponíveis nos seguintes pontos:

Arquibancadas nas Lojas Koerich das ruas Deodoro (Centro) e Conselheiro Mafra (Centro), Beiramar Shopping e nos bairros Ingleses, Campinas, Rio Tavares, Lagoa da Conceição, Canasvieiras e Santa Mônica. É possível comprar ainda nas lojas de São José (em Barreiros), Biguaçu e Palhoça.

Arquibancadas e camarotes: site da Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br)

 

O que cada escola levará para a passarela

Homenagem a Joãosinho Trinta é a aposta da Consulado para o desfile de 2018

No ano em que o carnavalesco Joãosinho Trinta completaria 85 anos, a escola de samba Consulado presta uma homenagem ao maranhense que fez enorme trajetória no Carnaval do Rio de Janeiro. O enredo “Os Sete Reinados do Rei João” vai levar 22 alas e três alegorias (sendo um quadripé) para a passarela Nego Quirido. Última a desfilar, a Consulado entra na avenida às 5h35 de domingo.

O enredo não vai contar a história de vida de Joãosinho, mas exaltar sete enredos históricos levados pelo carnavalesco à Sapucaí ao longo de sua trajetória. A comissão de frente vai representar Joãosinho ainda menino ouvindo diversas histórias, em especial o romance francês Os Miseráveis, de Victor Hugo, que inspirou Joãosinho em um enredo futuramente.

O carnavalesco Raphael Soares estuda a obra de Joãosinho há anos e sempre quis prestar uma homenagem ao maranhense. “No começo da carreira ele usava a palavra rei para dar nome a seus enredos e vi que depois ele começou a fazer isso novamente. Decidi então usar esses enredos que tratam de reis pra falar da sua obra”, explica Raphael.

 

A origem do samba na África e no Rio de Janeiro é destaque no Carnaval da Dascuia

Primeira a entrada na avenida, às 22h30 deste sábado, a Dascuia vai resgatar a origem africana do samba e a história de Altamiro José dos Anjos, o Seu Dascuia, que se misturam no enredo da escola do Morro do Céu. Dividido em três setores, o enredo “Nas memórias de um Griot, surge sua Majestade – O Samba e o Reino da Pequena África” vai destacar o início do ritmo semba na África em meio à escravidão, o esplendor do Reino da Pequena África, no Rio de Janeiro, e o envolvimento do Seu Dascuia com o Carnaval de Florianópolis. São dois carros alegóricos e 20 alas.

Logo no início do desfile, Seu Dascuia se transforma na figura de um griot africano, antigo indivíduo que tinha como função contar histórias. É em Luanda, capital da Angola, que a história começa, com o ritmo musical africano semba, no século 19.

Com os escravos trazidos ao Brasil por navios negreiros, seus costumes, crenças e culturas também se incorporaram ao povo brasileiro. Com a fundação do Reino da Pequena África, lar histórico da cultura afro-brasileira no Rio de Janeiro, o semba virou samba. “O enredo passa pela escravidão, o desembarque dos navios negreiros no país, a musicalidade que une a África e o Brasil, e o Carnaval do país e o de Florianópolis”, afirma um dos autores do enredo, André Christian Dalpicolo, mais conhecido como André Filosofia.

 

A relação espiritual e de fé com o manjericão vai ser destaque no desfile da Copa Lord

Quarta escola a entrar na avenida, às 2h45 de domingo, a Embaixada Copa Lord vai contar a história do manjericão. Uma planta de múltiplos usos e que une diferentes culturas através dos tempos, o manjericão tem uso não apenas culinário, mas principalmente relacionado à fé de diferentes povos. Com o tempo, o uso da planta se transformou. Mas uma essência se manteve intacta: a ligação do manjericão com a fé e a renovação espiritual. Sua história envolve reis, santos, mitos e crenças. A escola desfilará com dois carros alegóricos, um quadripé e 22 alas com o enredo “Manjericão – Um banho de fé.

A comissão de frente da Copa Lord vai representar criaturas fantásticas das profundezas do oceano, a partir de histórias hindus antigas que contavam que, com o batimente deste oceano, nasceu Vrinda Devi, que se tornou o manjericão sagrado. “Esse enredo busca um pouco do lado místico e de certa africanidade que a Copa Lord gosta muito. Vamos mostrar o uso do manjericão desde a Índia, como planta purificadora, passando por vários povos, épocas e significados”, explica William Tadeu, carnavalesco e um dos autores do enredo.

 

Nação Guarani vai contar a origem e a importância dos mapas na Nego Quirido

Com o enredo “O mapa da vida - Linhas e horizontes de uma nação”, a escola de samba de Palhoça Nação Guarani vai resgatar a história e a importância dos mapas na humidade. Dentro de garrafas jogadas ao mar, esculpidos em pedras, pintados em couros de animais ou desenhados na areia da praia, os mapas nos guiam e irão guiar a história. Com dois carros alegóricos e 20 alas, a escola será a segunda a entrada na avenida, às 23h55.

O enredo começa com a comissão de frente desvendando a origem dos mapas, a importância de seu uso para a navegação e para explorar o mundo. “Tratamos desde o mapa cartográfico até a ligação com a astrologia, a questão de olhar as estrelas e chegando aos mapas da mão, com as videntes”, explica Fernando Augusto, diretor geral de harmonia e evolução e da comissão de Carnaval da Nação Guarani. O primeiro setor da escola vai abordar justamente a relação entre a observação das estrelas como forma de se guiar e as descobertas da navegação no mar.

 

Oeste catarinense será exaltado na Nego Quirido pela escola Os Protegidos da Princesa

Com 20 alas e dois carros alegóricos, a escola Os Protegidos da Princesa será a penúltima a entrar na Nego Quirido, às 4h10 de domingo. Representações de índios devem dominar o início do desfile, que tem como enredo “Das terras kaingangs às terras do futuro!”, uma homenagem da agremiação ao oeste catarinense. Na avenida, a história vai relembrar desde os índios kaingangs que habitavam o oeste até o potencial agropecuário da região.

O primeiro carro da escola será uma locomotiva, que vai representar bem a história que a Protegidos quer contar. “Ela é muito representativa no oeste e vai ajudar a contar o enredo”, diz Beirão. O Índio Condá, que era um cacife da região e tinha forte papel político, também estará representado em uma ala da escola.

“Começamos com os índios, a vinda dos bandeirantes, o caminho das tropas, dos jesuítas, o Contestado e a construção das ferrovias”, afirma o autor do enredo e carnavalesco, José Alfredo Beirão Filho. A força econômica da região também estará na avenida. O potencial agropecuário, as grandes empresas da região e o enorme polo industrial local serão destaque no desfile. O maior time de futebol do Estado, a Chapecoense, não poderia ficar de fora, e terá um lugar garantido na avenida.

 

A tecnologia vai dominar o desfile da Unidos da Coloninha na Nego Quirido

A atual bicampeã do Carnaval de Florianópolis entra na avenida à 1h20 de domingo com um desfile tecnológico. O enredo “Tecnópolis, o passaporte de Floripa para o futuro” vai relembrar as descobertas do mundo tecnológico, a dualidade entre homens e máquinas e o potencial tecnológico de Florianópolis. A proposta é resgatar a história da tecnologia, passando pela Revolução Industrial, a Segunda Guerra Mundial, o boom da tecnologia nos últimos anos, as pesquisas da área nas universidades e a vocação da Capital, conhecida como o Vale do Silício no Brasil. A escola entra na avenida com 22 alas e dois carros alegóricos.

“É uma viagem no mundo da tecnologia através do tempo, onde o homem domina a máquina e a máquina quer dominar o homem. O futuro está próximo da gente”, afirma o carnavalesco Ley Vaz. O primeiro carro da escola vai mostrar exatamente esse futuro tecnológico diante de nós e as mil possibilidades de evolução tecnológica. Ao longo de 20 alas, estarão a tecnologia industrial, de inteligência artificial, a nanotecnologia, a robótica e mais uma série de avanços.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade