Publicidade
Quinta-Feira, 17 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 25º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Fábio Ramalho busca apoio para o Comando da Câmara

    Candidato à presidência da Câmara, o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) tem mapeado e conversado com possíveis dissidentes dos 12 partidos que, até agora, formalizaram apoio à reeleição do rival Rodrigo Maia (DEM-RJ). Estão na mira de Ramalho principalmente deputados de legendas do Centrão: PR, PSD, PRB e PSC, além de representantes do PSDB e Solidariedade. As 12 legendas que fecharam apoio à reeleição de Maia somam mais de 260 parlamentares.

    Além de Fábio Ramalho, o MDB terá outro candidato à presidência da Câmara: Alceu Moreira (RS). A bancada emedebista perdeu força na Casa. Tinha 66 deputados na última legislatura e agora conta com 34 parlamentares.

    Sem consenso e sem votos para competir com Rodrigo Maia, partidos de oposição tendem a se dividir em várias candidaturas para marcar posição contra a reeleição do democrata.

     

     

     

    Reforma Agrária

    Alvo de nova polêmica do Governo de Jair Bolsonaro (PSL), a reforma agrária retrocedeu durante[...]

    Leia mais
  • Levy será o curinga da Equipe Econômica no Governo

    Além de presidir o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o ex-ministro Joaquim Levy atuará como conselheiro da equipe econômica para temas como investimentos em logística e infraestrutura, privatizações e reestruturação financeira de Estados e municípios. Antes de ser empossado no comando do bancão, em cerimônia no Palácio do Planalto, Levy se reuniu com o núcleo duro do Governo do presidente Bolsonaro e reafirmou que a prioridade, à frente do BNDES, será a transparência na atuação da instituição. Bolsonaro soltou um “a caixa-preta do BNDES será aberta”.

     

    O ex-ministro da Fazenda de Dilma Rousseff é visto na Esplanada como nome que tranquiliza o mercado e pode ocupar outros postos em caso de baixas na equipe.

     

    Aumenta o som

     

    A amigos que foram visitá-lo na prisão, nos primeiros dias do ano, Lula pediu para que aumentem o som do microfone da vigília que representantes de movimentos sociais fazem em frente ao[...]

    Leia mais
  • PPS muda para Cidadania e deve ser oposição ao Governo

    O PPS vai mudar o nome para Cidadania e deve ser oposição oficial ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). O presidente do PPS, Roberto Freire, vai convocar um Congresso Extraordinário em Brasília para as próximas semanas, e colocar os temas em pauta. Hoje, o PPS é independente no Congresso e em relação ao novo Governo. E a oposição, por ora, é questão pessoal de Freire, reforça o comandante do partido. O ‘Cidadania’ foi escolhido após consulta a militantes.

     

    “Será uma oposição democrática, e com responsabilidade, como sempre foi”, diz Freire à Coluna, caso os partidários aprovem a tendência.

     

    Segredo de Estado

     

    Não se assustem os que apontam Sérgio Moro futuro ministro do STF e o virem candidato a presidente da República no pós-Bolsonaro, em 2022 ou 2026.

     

    Êpa, êpa

     

    Não se questiona o preparo de Wilson Witzel para o Governo do Rio. Mas pegou mal na família Bolsonaro sua intenção, no segundo dia no cargo (!), de[...]

    Leia mais
  • Governo vai revisar aluguéis milionários em Brasília

    O Governo leva a sério a revisão de aluguéis milionários de prédios – nem sempre totalmente ocupados por órgãos da União. A equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro-chefe da Casa Civil, Onix Lorenzoni, consultaram, durante a Transição, auditorias do Tribunal de Contas da União antes de decidirem passar um pente-fino nos contratos de locação.

    Levantamento do TCU revelou que certos órgãos pagariam, em menos de três anos de aluguel, o valor relativo ao imóvel construído.

    O TCU constatou que não há base de dados única em relação aos contratos de locação, e que foram detectadas omissões ou divergências entre valores no sistema do Tesouro.

    Adeus, Consea

    O presidente Jair Bolsonaro (PSL) extinguiu o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), órgão consultivo e composto por representantes da sociedade civil que era vinculado diretamente à Presidência da República. A extinção do Conselho se deu por[...]

    Leia mais