Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Capitaneado pela primeira-dama, Criança Feliz não decola

    O programa Criança Feliz, cuja embaixadora é a primeira-dama Marcela Temer, não decolou. Criado há cinco meses, registra baixa adesão de Estados e municípios e corre risco de ser barrado como determinou o Conselho Municipal de Assistência Social de São Paulo. Para tirar o Criança Feliz do limbo, Marcela Temer pretende fazer um tour pelas principais capitais para divulgar as medidas que, segundo ela, “visam estimular o desenvolvimento de habilidades e competências nos primeiros anos de vida”.

    Transparência

    Não há informações detalhadas sobre os repasses do Criança Feliz nos sistemas de acesso à informação do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, que coordena.

    Estágio

    A presença da secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães, ao lado do ministro Mendocinha na coletiva do Enem é estratégica. Ela é sua sucessora em 2018.

    Efeito Lava Jato

    É grande o número de congressistas que têm trocado os dias de ‘folga’ de Brasília[...]

    Leia mais
  • Sindicato das agências vira caso de Polícia em Brasília

    Procuradores do Ministério Público do DF e policiais da 5ª DP de Brasília investigam uma bomba com dinheiro do servidor público federal. O alvo é o Sinagências - Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação. Apura-se a compra de terreno de 40 mil metros no Park Way, bairro nobre, por mais de R$ 3 milhões - os diretores não mostraram uma escritura, segundo denunciantes, e boa parte do terreno fica numa Aérea de Proteção Ambiental. A Polícia investiga a criação, por dois dirigentes, da Cooperativa Habitacional Bandeirante, que já recebeu mais de R$ 1,8 milhão em repasses para a construção de um edifício residencial que não saiu da planta.

    Puxa o extrato

    MP e Polícia focam no ‘contrato de gaveta’ no terreno do Park Way para uma sede e as suspeitas de que o dinheiro para a cooperativa habitacional paguem despesas pessoais.

    Atropelados

    O convênio com a cooperativa habitacional foi feito pela cúpula, sem a devida aprovação[...]

    Leia mais