Publicidade
Quinta-Feira, 19 de Julho de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Delação do ex-ministro presidiário Geddel Vieira está próxima

    Sinal amarelo no Palácio do Planalto. O advogado Gamil Föppel, que defende o ex-ministro presidiário Geddel Vieira Lima – ex-amigo próximo de Michel Temer e Eliseu Padilha – intensificou conversas com a Procuradoria-Geral da República nos últimos dias. Falta pouco para a homologação da delação premiada do ex-ministro com o Ministério Público. Föppel orientou Geddel a não responder perguntas do MP Federal em recente depoimento à Justiça em Brasília. A estratégia foi vista como cautela da defesa para não comprometer o acordo de delação em andamento.

    Saúde com PP

    O PP vai manter o controle do Ministério da Saúde quando Ricardo Barros sair em março, a despeito do assédio do PMDB e DEM junto ao presidente Michel Temer.

    Terra do sol

    O Ceará ganhou sua primeira reserva indígena. O presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, assinou a criação da Reserva Taba dos Anacé, com 543 hectares, em Caucaia.

    Copa no telão

    O Parque Olímpico da Barra no[...]

    Leia mais
  • Delação do ex deputado Eduardo Cunha pode pegar Rodrigo Maia

    Algumas das páginas do calhamaço da delação premiada do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) trarão à tona pormenores até agora desconhecidos sobre a tramitação da Medida Provisória 652, que criava o programa de desenvolvimento da aviação regional. Além do próprio Cunha, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), apresentou emenda à MP para beneficiar a construtora OAS, conforme apontou investigação da Polícia Federal.

    Pepino  

    Concluído há 5 meses, o inquérito da PF sublinhou que a Emenda Maia teria rendido robusta propina de R$ 1 milhão. O democrata nega e evita falar sobre o assunto.

    Cenários

    Empoderado de todos os lados, Rodrigo Maia articula para fazer seu pai, o vereador Cesar Maia, governador do Rio na eleição de 2018. Ou ele próprio, e o pai senador.

    Broncas

    Rodrigo Maia tem duas broncas com a Justiça. Uma no TSE, sobre problemas na prestação de contas do DEM em 2010 (nº 91997.2011.600.0000 - TSE), e outra no STF,[...]

    Leia mais
  • Câmara avança no projeto derruba-delação para favorecer Temer

    A base do presidente Michel Temer (inclui em especial o PSDB) iniciou o projeto derruba-delação. A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara Federal aprovou proposta de criação de subcomissão para investigar as ilegalidades da JBS com dinheiro público. O objetivo político, no entanto, não é apenas jogar luz sobre as supostas maracutaias, mas encontrar um gatilho jurídico-político no âmbito da Casa para invalidar a delação de Joesley Batista, um dos donos da JBS, por supostas fragilidades e irregularidades na gravação do diálogo com o presidente Temer. Como os aliados vão fazer isso para ajudar o chefe, eles ainda não sabem. Fato é que, se concretizar uma proposta que ganhe tramitação nas comissões a fim de melar o acordo de Joesley com a JBS, ela terá cunho terminativo (não vai plenário) e trâmite acelerado nas duas Casas, até a canetada da sanção do próprio Temer. Se isso vingar, Aécio Neves e Michel Temer, os principais investigados e[...]

    Leia mais
  • Michel Temer tem certeza de que houve cortes em áudio

    Assim que ouviu o áudio da conversa com Joesley Batista, o presidente Michel Temer decidiu pedir à Polícia Federal para fazer uma perícia, mas os jornais se anteciparam. Ele tem certeza de que houve edições porque faltaram na gravação trechos do diálogo, segundo interlocutores. “Estranho, me lembro que havia sido falado família, que ajudava a família (de Cunha), e tenho convicção, e isso não está no áudio”, disse Temer aos ministros palacianos. O presidente também se disse surpreso com a atitude da Procuradoria Geral da República, que enviou o áudio para o STF sem perícia.

    In loco

    Aécio Neves foi visto no 5º andar do Hotel Unique, em SP, com o primo Frederico, dias antes do pagamento da suposta propina. Almoçaram juntos no restaurante do skyline.

    In loco 2

    Aécio estava tenso e o primo com semblante preocupado. O senador foi lacônico para o assessor: “Você pega um voo para o Rio hoje, né?”, no que o primo concordou.

    De família

    Hoje o PMDB[...]

    Leia mais