Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

PSDB entra na linha de tiro da Lava Jato com delator

Caciques tucanos não escondem a preocupação com o avanço das investigações da Lava Jato que podem fulminar a campanha presidencial do governador Geraldo Alckmin

Leandro Mazzini

Caciques tucanos não escondem a preocupação com o avanço das investigações da Lava Jato que podem fulminar a campanha presidencial do governador Geraldo Alckmin (PSDB). A força-tarefa do Ministério Público em São Paulo foi ampliada há um mês. Uma das linhas de investigação mais avançada, que apura pagamento de propina a tucanos de alta plumagem, segue no Rio de Janeiro, com o juiz da Lava Jato Marcelo Bretas. A investigação foca nos repasses ao operador Adir Assad.

Alckmin & Serra

O operador Adir Assad confessou ter recebido R$ 46 milhões por meio de empresas de fachada que venceram concessões nas gestões tucanas de Alckmin e José Serra.

Enxurrada

O Governo de Minas não depositou até ontem a terceira das quatro parcelas do 13º salário do funcionalismo. E o BB interrompeu o crédito para os servidores.

Que raquetada !

Os Correios serão o operador logístico do squash. Segundo contrato de inexigibilidade de licitação, vai investir R$ 700 mil na Confederação Brasileira de Squash.

Caifás

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reagiu com sonoro silencio à Operação Caifás que desbaratou um esquema de desvio de recursos da Cúria da Diocese da Igreja Católica de Formosa (GO) e paróquias de outras cidades. Foram presos quatro padres e um bispo. Há funcionários de paróquia envolvidos.

Dízimo desviado

Por meio da assessoria, a entidade alegou que o caso seria analisado pelo departamento jurídico “antes de qualquer pronunciamento”. De acordo com as investigações, os recursos tinham origem em dízimos, doações e taxas como batismo e casamento. Foram presos um bispo e quatro padres.

Andou

Depois de a Coluna antecipar no domingo o descaso da Câmara com o projeto que acaba com o foro privilegiado, o tema voltou à tona, mas.. no STF. Ministro Dias Toffoli confirmou que vai liberar para plenário a ação que analisa a restrição do foro.

Mais dois

Nessa ‘janela’ partidária aberta, mais dois em mudança. Os deputados do Rio de Janeiro Pr. Eurico (PHS) e Clarisse Garotinho (PR) estão com os pés no Patriota.

Chapa..

Relator da reforma Trabalhista, o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) tem um carinho para lá de especial pela cidade de Caicó (RN), reduto eleitoral administrado pelo afilhado político Batata Araújo, também do PSDB.

..e parceiros

Em 2017, Marinho destinou mais de R$ 3 milhões em emendas para a prefeitura. Os recursos saíram dos ministérios das Cidades, Integração e Indústria e Comércio Exterior. Batata trocou o MDB pelo PSDB em 2016, eleito com apoio de Marinho.

Ga$!

A Gas Natural Fenosa vai destinar para o Brasil o arrecadado no “Dia Solidário”, quando os funcionários de todo o mundo doam um dia de salário para projetos sociais. Serão selecionados projetos dos Estados do Rio de Janeiro, do Sul, de SP e do Piauí.

Ponto Final

A violência no Rio é arquitetada pelas organizações criminosas cujo alimento econômico é a droga e, a sua proteção, a arma – e ambas entram no Brasil principalmente através do Paraguai. Não adianta somente intervir no Rio - ou no Brasil - sem se ter uma dura conversa com o governo Paraguaio.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade