Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

Haddad aposta em Minas e no Nordeste

Haddad está empolgado com a alta popularidade da ex-presidente Dilma Rousseff, candidata ao Senado que lidera as preferências

Leandro Mazzini

Prestes a ser oficializado pelo PT candidato ao Planalto – falta o aval do detento Lula da Silva – Fernando Haddad aposta na ofensiva em Minas Gerais, segundo colégio eleitoral do País, para crescer. E depois subir em caravana pelo Nordeste como o nome escolhido pelo ex-presidente. Em Minas, vai visitar quatro regiões num mesmo dia – Norte, Triângulo, Zona da Mata e vertentes. Haddad está empolgado com a alta popularidade da ex-presidente Dilma Rousseff, candidata ao Senado que lidera as preferências. No Estado, a campanha é coordenada pelo deputado Reginaldo Lopes (PT), o mais votado em 2014.

Preparou campo

Muito cacique se assustou com o potencial eleitoral do deputado petista. É que desde 2010, de carro, barco, ou avião, Lopes visita no mínimo 3 cidades todo fim de semana.

Falta muito

De um especialista em pesquisas há mais de 20 anos, com base nas estatísticas detalhadas: A eleição será definida nos últimos 10 dias antes das urnas.

Pós-facada

A Paraná Pesquisas entrega na quarta-feira pesquisa nacional para o Empíricus. Será a primeira após o atentado contra Bolsonaro, com entrevistas da última sexta até amanhã.

Inimigo oculto

Os grandes bancos guardam relatórios que registram aumento do número de roubos e assaltos a agências todo ano de eleição. Ee há um indicativo, sigiloso, de que muitos são encomendas de políticos para financiamento de campanha. A onda está se repetindo neste 2018, há um mês, Brasil adentro. Por que não divulgam? Preferem não comprar briga com os muitos que são eleitos.

Pesou a conta

A família e o próprio Jair Bolsonaro queriam a transferência do presidenciável para o Hospital do Exército no Rio, mas, apesar da excelência no atendimento, pesou a grife do hospital Albert Eisten e quem vai pagar a conta: A Câmara Federal.

Defesas

Adélio Bispo, criminoso confesso, conseguiu quatro advogados de defesa – um deles renomado criminalista em BH que viajou para Juiz de Fora e pegou a causa pró-bono. Bolsonaro conta com um advogado no processo: Gustavo Bebianno, presidente do PSL.

Coldre ferveu

Houve um embate discreto entre a Polícia Civil de Juiz de Fora e a Federal pelo comando do inquérito da facada. A Federal levou, por decisão da juíza do caso.

Volta a porrada

Os comitês presidenciais não vão ficar na solidariedade. É questão de uma semana a 10 dias os adversários voltarem a atacar na mídia o líder das pesquisas.

Ôh do volante!

A Agência Nacional de Transportes Terrestres vai notificar – e não multar, porque não há regra para isso – o motorista que trabalhar com preço inferior à tabela de frete estipulada pelo Governo. Será a partir de novembro. A direção da ANTT vai realizar audiência pública para coletar sugestões até dia 10 de outubro.

Acostamento

Aliás, passam longe de 500 o número de servidores da ANTT – entre fiscais e administrativos, como espalham diretores. Os fiscais são cerca de 300 em todo o Brasil.

MISsegura !

O valiosíssimo Museu da Imagem e do Som ( MIS ) da Lapa do Rio de Janeiro, que guarda o acervo de MPB e Bossa Nova, entre outros, corre sério risco de ser o próximo alvo do descaso das autoridades e gestores. Fonte da Coluna flagrou condições deploráveis de conservação do material, e o prédio histórico decano vai mal, com infiltrações nas paredes.

Quem cuida

O Estado é o tutor do acervo e do prédio. O governador Luiz Fernando Pezão diz que está construindo o novo MIS em Copacabana. Mas as obras estão paradas.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade