Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Lançamentos, as últimas novidades e tendências, detalhes técnicos e aquele olhar apurado sobre o mercado automobilístico você encontra aqui no Automotor, um blog para os apaixonados por carros e tudo que se relaciona com as quatro rodas.

Volvo XC90 dispensa uso das mãos e pés do motorista

Moradores da cidade de Gotemburgo, sede da Volvo, receberão carros que poderão utilizar experimentando no dia a dia esta tecnologia que praticamente dispensa o motorista

Luís Meneghim
09/09/2016 19h47

A Volvo dá mais um passo em direção à condução autônoma de veículos automotores. A empresa sueca fez o lançamento, nestasexta (9) do seu ambicioso projeto denominado Drive Me. O utilitário esportivo XC90 foi o modelo escolhido para esta primeira etapa. Moradores da cidade de Gotemburgo, sede da Volvo, receberão carros que poderão utilizar experimentando no dia a dia esta tecnologia que praticamente dispensa o motorista.

Volvo XC90 dispensa uso das mãos e pés do motorista - Volvo/Divulgação/ND
Volvo XC90 dispensa uso das mãos e pés do motorista - Volvo/Divulgação/ND



Esta é a primeira vez que uma marca disponibiliza, para o cidadão comum, veículos de condução autônoma, que poderão circular em estradas públicas. Os modelos do programa Drive Me vão acrescentar a capacidade plena que libera os motoristas de usarem as mãos e os pés em zonas de condução especiais em Gotemburgo. A tecnologia permite que os carros sejam monitorados sem a necessidade de circularem em circuitos especiais. Também não haverá a necessidade de que sejam acompanhados por carros à frente ou atrás, como em testes realizados por outras marcas.

Os XC90 serão conduzidos pelos motoristas que, após acionarem o Pilot Assist, a condução passa a ser do próprio veículo, acelerando, freando e até fazendo ultrapassagens. A proposta da Volvo, que é pioneira em segurança automotiva, é introduzir esta tecnologia para diminuir acidentes, liberar estradas congestionadas, reduzir a poluição. Além, é claro, de permitir que motoristas utilizem o tempo em seus automóveis de forma mais produtiva. (Luís Meneghim)

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade