Douglas Brose sonha com o ouro no Pan-Americano para “fechar o ciclo”

Maior carateca brasileiro de todos os tempos na sua categoria (kumite – luta – até 60 kg), o bicampeão mundial Douglas Brose ainda não tem uma medalha dos Jogos Pan-Americanos na sua galeria. A experiência que conquistou ao longo destes anos faz com que o atleta, líder do ranking da WFK (Federação Mundial de Caratê), não se sinta pressionado.

“Não me sinto pressionado por ser o campeão do mundo. Me pressiono por ser a medalha que me falta. Nestes quatro anos que passaram eu tive mais duas medalhas em mundiais (prata em 2012 e ouro em 2014)”, disse o atleta, que é casado com a também carateca Lucélia Ribeiro, tetracampeã pan-americana.

Bruno Ropelato/ND

Douglas Brose tem quatro medalhas em campeonatos mundiais, duas de ouro

Brose embarca para o Canadá no dia 17 com a seleção brasileira, que treina em São Paulo. Antes, o carateca passou um período se preparando na Croácia, que recebeu a Copa Mundial de Base. As lutas acontecerão no dia 23. São sete adversários, todos conhecidos de Brose. Os oponentes que podem dificultar o ouro são da Colômbia, Venezuela e Uruguai.

“É uma competição mais reduzida, com eliminatórias e finais no mesmo dia. Já enfrentei todos, são bons, tenho que entrar ligado. Só saberei os atletas que estão no meu grupo um dia antes das lutas”, afirmou. Também brigam pelo ouro no Pan: Estados Unidos, Canadá, República Dominicana e Chile. 

Ficha

Nome: Douglas Brose

Naturalidade: Cruz Alta-RS, radicado em Florianópolis

Nascimento: 11 de dezembro de 1985 (29 anos)

Modalidade: caratê (kumite até 60 kg)

Principais conquistas: bicampeão mundial (2010 e 2014); tricampeão pan-americano de caratê (2011, 2014 e 2015); campeão dos Jogos Sul-Americanos (2014); campeão dos Jogos Mundiais (2009) e duas vezes bronze nos Jogos Pan-Americanos (2007 e 2011)

Mais Esportes