Comunidade esportiva de Santa Catarina lamenta cancelamento dos Jogos Abertos

O cancelamento dos JASC (Jogos Abertos de Santa Catarina), confirmado na tarde desta quinta-feira pelo governador Raimundo Colombo (PSD), mobilizou a comunidade esportiva do Estado. O evento, programado para acontecer entre os dias 11 e 19 de novembro, em Tubarão, não será realizado por falta de condições da Cidade Azul em sediar a competição. O município foi atingido por um vendaval no último dia 16 e teve grande parte da sua estrutura danificada. Antes de decidir pela anulação, Criciúma, Itajaí e Joaçaba foram sondadas para receber os Jogos Abertos, mas se recusaram. 

Fernando Krelling foi o vereador mais votado da história de Joinville - Divulgação
Fernando Krelling lamentou o cancelamento dos Jogos Abertos – Divulgação

Blumenau, que era vista como a única cidade pronta para assumir a organização dos JASC, continua de portas abertas, segundo o diretor executivo da Fundação Municipal de Desportos, João Cesar Sendeski. O dirigente negou qualquer tipo de convite por parte do Governo e lamentou o cancelamento dos Jogos Abertos. “Tivemos uma sondagem do Conselho Estadual de Esporte, mas nenhum contato da Fesporte. Tecnicamente, temos condições de realizar. Resta saber a intenção do Governo. Somos solidários ao município de Tubarão. Blumenau também passou por muitas dificuldades”, afirmou. 

Segundo o diretor-presidente da Fundação de Esportes, Lazer e Eventos de Joinville, Fernando Krelling, um ano sem JASC é um ano perdido tanto para os atletas como para a cidade, que investe na formação – 80% dos competidores têm idade para disputar os Joguinhos (17 anos). “Toda a preparação do ano é jogada fora. A ausência dos JASC é prejudicial para as cidades que fomentam o esporte. Entendo a questão, mas poderíamos criar outras logísticas. Para os atletas é um ano perdido. É a competição da vida deles”, lamentou. 

O superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Florianópolis, Lidio Moisés da Cruz, é favorável ao cancelamento dos Jogos Abertos. “Não podemos ser egoístas. Há uma perda por parte dos atletas, mas temos de pensar nas pessoas. A atitude do governador merece aplausos”, salientou.

Mais conteúdo sobre

Mais Esportes

Nenhum conteúdo encontrado