Governo não cumpre prazo de pagamento do Edital Elisabete Anderle

No início de 2017, durante cerimônia de posse no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis, o governador Raimundo Colombo junto ao secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, e o presidente da FCC (Fundação Catarinense de Cultura), Rodolfo Pinto da Luz, anunciaram que neste ano haveria o lançamento do Edital Elisabete Anderle. O último foi lançado em 2014, executado em 2015, e era uma grande reclamação dos artistas. 

Em abril foram abertas as inscrições para o edital. O prêmio, que teria investimento de R$ 5,6 milhões, teve recorde de inscritos, com mais de 1.800 trabalhos. O resultado foi divulgado no início de agosto, com 175 propostas selecionadas.  Os recursos viriam do Governo do Estado de Santa Catarina, com promoção da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, por meio da FCC e do Conselho Estadual de Cultura. A programação do edital datava o mês de setembro para o pagamento do recurso aos artistas, contudo, a classe não recebeu nada. Dia 30 de outubro foi a nova data estipulada pela FCC para o pagamento, porém, novamente os artistas ficaram sem ver o dinheiro pelo qual inscreveram seus trabalhos. 

Cia de Dança Lápis de Seda venceu o edital Elisabete Anderle de 2017 - Cristiano Prim/Divulgação/ND
Cia de Dança Lápis de Seda venceu o edital Elisabete Anderle de 2017 – Cristiano Prim/Divulgação/ND

A Secretaria da Fazenda informou por meio da assessoria que está fazendo um esforço para o pagamento do edital ainda neste mês de novembro, porém sem data definida e justifica o atraso devido a fatores como queda na arrecadação e dívidas acumuladas.

 Renato Turnes, ator e diretor, e dono de uma das propostas selecionadas no edital, diz que está se formando uma grande ideia de calote entre os artistas. “Temos medo que se repita a velha história dos outros anos, ainda mais que no ano que vem tem eleição, e se não sair a verba até dezembro, não teremos mais, pois esse dinheiro acaba parando em um buraco negro”, coloca ele. 

Outro problema é em relação ao Edital Estação Cultural, que teria sua primeira edição neste ano, previsto para acontecer entre os dias 26 e 29 de outubro. Ele teve mais de cem projetos aprovados e aconteceria em 50 cidades de Santa Catarina, porém, a programação foi adiada sem nova data prevista para a realização. “Os artistas se programaram, formaram uma agenda para se apresentar nesse projeto, e ele não aconteceu”, diz Turnes. 

O edital da Cinemateca Catarinense também foi um projeto anunciado pelo governador para este ano, mas que até o momento não teve lançamento.

 

Entretenimento