Fábio Machado

Rotina, contratações e análise dos jogos dos clubes catarinenses. A história do futebol no Estado é resgatada com postagens que relembram os títulos e jogadores que marcaram Santa Catarina.

AVAÍ 1 X 0 CRB: comentário, nota dos jogadores e avaliação do treinador Geninho

Atualizado

No estádio da Ressacada em noite fria, o Avaí venceu com muitas dificuldades o time do CRB, mas tirou o peso da derrota do clássico de sábado passado e confirmou a sua posição no G4 da série B. O jogo não foi bom tecnicamente. O time do treinador Geninho repetiu a sua forma de atuar: mais posse de bola, laterais bastante acionados, mas com muitas dificuldades no último toque em busca da finalização.

IMPROVÁVEL

Com muitos desfalques, coube ao meia Pedro Castro a missão de ser o “herói” da noite ao marcar o único gol da partida. Méritos na jogada para o Matheus Barbosa e para o ala direita Guga que deu a volta por cima, após ter desperdiçado uma penalidade máxima no clássico. Mas o melhor jogador do Avaí na partida foi o goleiro Aranha que saiu de campo com no mínimo três importantes defesas. Vitória difícil e alívio para o torcedor avaiano.

ARANHA – O melhor jogador da partida. No mínimo três importantes defesas garantindo a vitória. NOTA 9

GUGA – Fundamental na jogada do gol do Avaí. Se recuperou em parte do pênalti perdido no clássico. NOTA 7

AIRTON – Cometeu algumas falhas colocando em risco o sistema defensivo. NOTA 5

BETÃO – O futebol sério e aplicado de sempre. NOTA 7

CAPA – O mais acionado na segunda etapa. Mas não consegue acertar um mísero cruzamento. Nas jogadas de meio foi um pouco mais eficiente. NOTA 5

JUDSON – O “motorzinho” do Avaí. Onipresente e aplicado. Quando sobra espaço, arrisca chutes de fora da área. NOTA 7

MATHEUS BARBOSA – Atuação tranquila e assistência pro gol. NOTA 8

PEDRO CASTRO – O contestado Pedro Castro foi o improvável salvador do Avaí ao marcar o seu gol. Na segunda etapa voltou a ser o mesmo de sempre. Não é titular nesse time. NOTA 7

GABRIEL LIMA – Um bom primeiro tempo: buscou o jogo e apostou em triangulações. Na segunda etapa caiu de rendimento. NOTA 6

BELTRAN – Muito luta, muito suor e pouca inspiração. Bem verdade que fica sozinho em várias jogadas. NOTA 5

(DANIEL AMORIM) – Entrou e não foi melhor que o Beltrán. Está devendo a sua “estreia”. NOTA 5

RÔMULO – Tem a vantagem de não se omitir no ataque do Avaí. Em vários momentos voltou para iniciar a jogada. NOTA 6

(MARQUINHOS SILVA) – Entrou no fim da partida para segurar o placar. SEM NOTA

GENINHO – Não dá pra dizer que o Geninho se omite na partida. É possível ouvir os seus gritos, principalmente com o lateral Capa. Escalou o que era possível com tantos desfalques. 

Mais conteúdo sobre

Mais conteúdo