Publicidade
Quarta-Feira, 29 de Março de 2017
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 21º C

O poeta de Barra do Sul revela seus sentimentos em forma de sonetos

Eduardo Eugênio Batista publicou um livro para divulgar suas produções e espera ansioso pela realização da primeira feira do livro de Barra do Sul

Alexandre Perger
Joinville

Há mais de 30 anos, Eduardo Eugênio Batista, 49 anos, escreve suas poesias. O arquivo já guarda mais de 1.400. Para dar vazão a toda essa produção e deixar como registro para a posteridade, o poeta começou a publicação de uma série de livros. O primeiro ganhou o titulo de “Em Todos os sentidos” e foi lançado no dia 19 de setembro, com 77 poesias que abordam os mais variados temas que inspiram o artista.

 

Fabrício Porto/ND
Fabrício Porto/ND
O poeta que adora fingir ser outros personagens, com sua obra

 

Para tentar driblar as dificuldades financeiras e barreiras editoriais encontradas, Batista encontrou uma forma alternativa para publicar sua primeira obra. O poeta utilizou o site Clube de Autores. A página da internet disponibiliza uma ferramenta gratuita na qual os escritores podem formatar o livro e publicar, colocando à venda no próprio site.

No caso de Batista, não há uma tiragem, a comercialização é por demanda. Cada livro vendido é impresso e entregue ao comprador. Até o momento, passado quase um mês e meio do lançamento, o poeta vendeu pouco mais de 20 exemplares, que custam R$ 29,62. Com o frete, chega a R$ 35. Batista fez quase tudo no livro, menos a ilustração da capa, que ficou a cargo de Paulo Gerloff.

Os poemas escolhidos para o primeiro livros formam um apanhado de uma etapa que corresponde do meio da carreira de poeta até agora. “Acredito que tenho potencial e chegou a hora de lançar um livro”, conta Batista. Ele escolheu este período porque se considera com uma técnica mais apurada que antes.

Os temas ilustrados nas poesias de Batista são diversos, pois ele prefere ser um poeta de muitas faces, escrevendo quase tudo e passando por uma metamorfose, incorporando, nos textos, desde figuras a objetos. No livro, ele tentou buscar um pouco de cada faceta, para conseguir compor um material mais rico.

A partir de agora, que saiu o primeiro, a produção deverá ser intensa. O próximo já está no forno. Com o título de “Internamente Exposto”, a obra está quase pronta, faltando alguns detalhes, como a revisão. A intenção de Batista até o fim de 2014 com dez livros publicados.

Inspiração na infância

Batista, que é natural de Joinville, mas mora hoje em Barra do Sul, começou a se interessar por poesia ainda pequeno, aos 12 anos, quando ouvia a avó declamar alguns versinhos. “Escutava e gostava”, lembra. Dali em diante, passou a escrever sempre, rabiscar nos cadernos de escola. Com 15, o poeta passou a guardar e registrar a produção. “Nessa época, eu gostava muito de ler conto e poesia, autores como Fernando Pessoa”, conta.

A partir dos 20 anos, Batista começou a se reconhecer como poeta e aumentar a produção. “Sempre gostei de escrever o que as pessoas sentiam, o que eu sentia”, explica o poeta.

 

LUARES DOS AMORES

Na lua minguante, tu carente, afago!

Busco-te na lonjura da lua nova;

Da lua crescente a tiara sim, lhe trago,

Na lua cheia o nosso amor se renova.

 

Você é todo o tempo a minha luz!

Guia-me o teu perfume noite e dia;

Nas luas da paixão que me conduz,

Faz-te linda rainha a tal magia.

 

Ao suave som das harpas dançamos;

Bocas em mil suspiros tão presentes,

O chão, nós dois já não mais alcançamos.

 

Por suas pratas luzes transparentes,

Outra vez, nos luares nós entramos

 Sorrindo, por desejos tão ardentes!

Publicidade

0 Comentários