Publicidade

Você está em

Terça-Feira, 06 de Dezembro de 2016
Descrição do tempo
  • 29º C
  • 18º C

Após prisão de médico, mais de 20 mulheres procuraram a delegacia para acusá-lo de abuso sexual

O nutrólogo Omar César Ferreira de Castro continua no Presídio de Florianópolis

Colombo de Souza
Florianópolis

Após a prisão na terça-feira (16) do médico Omar Cesar Ferreira de Castro, 65, acusado de abusar sexualmente de pacientes, mais de 20 mulheres já telefonaram para o delegado da 6ª DP (Delegacia de Proteção a Criança, Adolescente Mulher e Idoso) Ricardo Thomé pedindo informações para oficializar a denúncia. Outras seis vítimas compareceram, pessoalmente, à delegacia, para registrar boletim de ocorrência. O médico foi preso em sua clínica particular no Centro de Florianópolis.

Rosane Lima/ND
Médico foi preso na terça-feira em seu consultório, no Centro de Florianópolis

 

Segundo o delegado, inicialmente as testemunhas registram b.o. para depois serem ouvidas em inquérito policial. Os depoimentos estão sendo agendados de acordo com os registros dos boletins. “Neste momento temos que ter muita cautela e análise criteriosa para não misturar a investigação criminal com interesse privado”, afirmou o delegado, com 37 anos de profissão.

:: Médico é preso por abusar sexualmente de pacientes em Florianópolis

Outras quatro vítimas de assédio também procuraram o advogado criminalista Francisco Emmanuel Campos Ferreira, no dia da prisão do médico. Na terça mais uma mulher telefonou para o advogado e disse ter sido estuprada pelo nutrólogo. Todas as vítimas que procuram o criminalista estão sendo orientadas a registrar b.o. na 6ª DP.   

:: Conselho Regional de Medicina pode cassar registro de médico acusado de abusar de pacientes

Após ouvir as testemunhas, Thomé disse que vai reinquirir o médico. No começo da investigação, que gerou o inquérito policial, o nutrólogo prestou depoimento em novembro do ano passado e negou a acusação.  O delegado tem prazo legal de 30 dias para concluir a segunda etapa do inquérito policial. O médico continua numa ala especial do presídio masculino de Florianópolis à disposição da Justiça. 

Publicidade

0 Comentários