Os milagres continuam dez anos depois da canonização de Santa Paulina

Crescem os relatos de graças alcançadas e os devotos transformam Nova Trento numa das cidades mais visitadas do Estado

Marcos Horostecki
Marcos Horostecki
Jornalista, assessor de comunicação, gerente de TI por afinidade, espirita...amigo, boa gente, bom papo, etc...


Nova Trento

Débora Klempous/ND
Família leva José Tarquino Melo ao Santuário para agradecer melhora após sofrer AVC

 

Até ser considerada santa, Madre Paulina, teve dois milagres avaliados e reconhecidos pelo Vaticano. Dez anos depois da sua canonização, que será comemorada em Nova Trento neste domingo, dia 20, os casos inexplicáveis de cura pela fé e intercessão da Santa não param de crescer e já transformaram a pequena comunidade de Vígolo, onde a caminhada da religiosa teve início, num dos locais mais visitados de Santa Catarina. As Irmãzinhas da Imaculada Conceição, congregação religiosa fundada pela Santa, até criaram um espaço para expor os novos milagres e divulgam os relatos dos devotos pela internet e por meio de um boletim enviado pelo Correio.

Com a santidade de Madre Paulina comprovada por meio dos procedimentos do Vaticano e ainda mais pelos relatos dos fiéis, a coordenadora da Pastoral do Santuário de Nova Trento, irmã Teresa Nascimento, explica que os casos não são mais investigados ou informados à Roma. A congregação está encarregada de ouvir e registrar as graças com o objetivo de propagar a fé cristã e os ensinamentos de Santa Paulina. O trabalho das Irmãzinhas está apenas no começo. Ainda não há estatísticas sobre os milagres alcançados pelos devotos. O número de visitantes, por outro lado, é absoluto, e comprova o crescimento da devoção dos fiéis nos últimos dez anos. Segundo a Santur (Santa Catarina Turismo S.A), já são mais de 75 mil pessoas por mês, em média.

“As pessoas vêm até aqui para agradecer e para pedir bênçãos. Muitas querem apenas conversar ou que alguém as ouça. As irmãs fazem o trabalho de ouvir e registrar esses relatos ou as próprias pessoas escrevem e os entregam para nós”, argumenta Terezinha. No caso de os fiéis deixarem presentes e lembranças das graças alcanças, elas são expostas na chamada Casa das Graças, que foi inaugurada no ano passado, perto da Ermida construída em homenagem à canonização da Madre.

 

Débora Klempous/ND
Irmã Teresa Nascimento coordena o Santuário e diz que graças não são mais enviadas ao Vaticano

 

Cura do câncer é a graça mais procurada

Entre os relatos de novos milagres e graças alcançadas já catalogadas, a maioria se refere à cura de doenças, especialmente o câncer. A fama da Santa, de atender pedidos de cura vindos dos doentes e suas famílias, já correu o mundo. São nódulos que desaparecem, células infectadas que perdem força e inúmeros doentes desenganados que voltam a reagir a medicação e ganham nova chance de vida. Casos como o de Célio Aparecido Tiliak, de São Paulo, divulgado no boletim da congregação no mês de janeiro passado. Ele passou por uma cirurgia para a retirada de um tumor canceroso no cérebro e teria se recuperado depois que familiares pediram a intercessão da Santa.

A família do empresário José Tarquino Mello, 79 anos, o leva com frequência até a Capela do Santuário, onde está guardada a relíquia do osso de Santa Paulina. A intenção, segundo conta a filha Eni, 41, é agradecer por ele ter voltado a caminhar e se alimentar depois de ter sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em 2010. “Fizemos a novena da Santa, pedimos muito por ele e aos poucos ele foi se recuperando. Hoje tem apenas dificuldade para falar, mas entende e reage a tudo que pedimos”, revela. “Antes do AVC ele vinha sempre aqui. Acreditamos muito que ela atendeu nossos pedidos”, complementa.

A relação da Santa com o câncer e com os doentes começou no início da caminhada religiosa da Madre. Antes da fundação da congregação, em 1890, Santa Paulina e a amiga Virginia Rosa Nicolodi se comoveram e passaram a atender a dona de casa Angela Lúcia Viviani. Ela tinha ido visitar parentes em Vígolo quando já estava gravemente doente e não tinha mais como ser transferida para nenhum hospital. Foi a primeira doente tratada no casebre que deu origem à congregação das Irmãzinhas.

 

Débora Klempous/ND
Fieis deixam as mais diferentes mensagens de agradecimento

 

A Santa dos casais e das crianças

Outra graça que cresce entre os devotos da Santa é o atendimento dos casais que desejam ter filhos ou que tiveram problemas com eles na hora do nascimento. Todos os dias, dezenas de pais sobem a rampa do Santuário de Nova Trento para agradecer pela saúde das desejadas crianças. Pessoas como o corretor de Imóveis Marcos Vinícius de Aragão, 36 anos, que na semana passada levou a pequena Maria Helena, de 9 meses, para conhecer o santuário.  “A saúde da milha filha, a minha vida. Vim até aqui para agradecer à Santa e pedir mais saúde. Agradecemos por estarmos tão felizes”, explica.

Na Casa das Graças, onde os devotos deixam as lembranças e mensagens de agradecimento, já é grande o número sapatinhos, roupas de batizado, fotos e cartas de agradecimento referentes ao auxílio para a maternidade. Há também inúmeras mensagens, como a deixada pela família de Otávio José, que nasceu enrolado no cordão umbilical e só acordou do coma depois que a tia invadiu o hospital e rezou a novena da Santa sobre a incubadora da Unidade de Tratamento Intensivo.

Há ainda relatos sobre a cura de doenças congênitas. É o caso de Lenucia Zanotto e Ivan Bartozo, de Curitiba, que foram informados pelos médicos de que a filha nasceria com a síndrome de Down. O casal fez a novena de Santa Paulina e pediu com fé que a menina nascesse com saúde. O parto aconteceu em janeiro deste ano e a criança nasceu saudável, sem nenhuma doença, para a surpresa dos médicos e alegria da família.

Publicado em 19/05/12-10:36

Matérias relacionadas