Furacão Catarina, o primeiro do Atlântico Sul, completa oito anos

Paulo Jorge Pereira Cassapo Dias Marques
Paulo Jorge Pereira Cassapo Dias Marques


Florianópolis

Defesa Civil de SC/Divulgação
Fenômeno atingiu principalmente o Sul do Estado, em cidades próximas ao litoral

 

A passagem do primeiro furacão do Atlântico Sul está completando oito anos. O fenômeno, que ficou conhecido como “Furacão Catarina”, atingiu Santa Catarina e o litoral norte do Rio Grande do Sul entre os dias 27 e 28 de março de 2004, deixando um rastro de destruição e 11 mortos.

Segundo dados da Defesa Civil Estadual, o “Furacão Catarina” deixou 33.165 desabrigados e desalojados, e 18 pessoas feridas. Foram danificadas 35.873 residências e 993 destruídas.

Ao todo, 14 municípios decretaram Estado de Calamidade Pública e sete Situação de Emergência na época. Os prejuízos econômicos foram superiores a R$ 850 milhões, sendo que mais de um milhão de catarinenses foram afetados.

Entre as vítimas, dez pescadores perderam a vida, além de um motorista cujo veículo foi atingido pela queda de uma árvore.

Como aconteceu

A chegada do “Furacão Catarina” foi às 17h45 do dia 27 de março de 2004, em Arroio do Silva, Sul do Estado. Às 19h50 começou a chuva e o vento sul, e a partir das 22h48 a chuva muito forte e o vento intenso provocaram destelhamentos de algumas edificações.

Às 22h30, o mar atingiu casas e calçadas situadas na orla. À 1h15 do dia 28, com a entrada do olho do Furacão, chuvas e vento cessaram, e muitas pessoas saíram de suas casas.

A fase crítica, no entanto, estava para começar o que ocorrer às 2h48 com ventos de norte muito fortes, com rajadas de 180 a 200 km/h. A partir das 3h15, os ventos diminuíram para 150 km/h, e às 4h30 para 100 km/h e às 5h30 vento fraco a moderado.

Publicado em 27/03/12-19:18