Publicidade
Domingo, 26 de Fevereiro de 2017
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 22º C

Michel defende Eduardo e diz que torcida logo vai cantar o nome dele

Técnico do Palmeiras ouviu cobranças durante o jogo contra o São Bernardo, mas foi defendido pelos jogadores. Michel Bastos se diz surpreso com reação da arquibancada

LANCE!
São Paulo (SP)

Michel Bastos durante treino do Palmeiras - Foto: Agência Palmeiras
Michel Bastos durante treino do Palmeiras - Foto: Agência Palmeiras

Um dos atletas mais experientes do elenco do Palmeiras, Michel Bastos entrou para a turma dos que defendem Eduardo Baptista publicamente. O camisa 15 disse nesta sexta-feira que os jogadores "abraçam" o treinador, cobrado pela torcida durante a vitória por 2 a 0 sobre o São Bernardo, e que o nome dele ainda será exaltado na arquibancada.

- O Eduardo veio para um grande clube, é um grande treinador, e com certeza ele já veio sabendo que a cobrança seria grande. Talvez não tão rápida como está sendo. Com três jogos, você já ser cobrado, nem nós jogadores esperávamos. Mas o Eduardo confia no trabalho dele e nós jogadores confiamos bastante também. Se Deus quiser isso vai ser passageiro. O torcedor ainda vive essa nostalgia de ser campeão brasileiro, mas isso faz parte do passado. Amanhã ou depois, vai ser o nome do Eduardo que eles vão estar gritando. Não esperávamos essa cobrança tão rápida, mas estamos preparados. Cabe a nós abraçar o treinador, é um cara honesto, um grande treinador, grande pessoa - declarou o armador.

Uma das maiores críticas ao trabalho de Eduardo Baptista está nas mudanças que ele tem feito em relação ao time campeão brasileiro. O novo técnico do Verdão gosta de usar o 4-1-4-1, enquanto Cuca escalava a equipe no 4-3-3. Se o time era letal nos contra-ataques com o antecessor, agora a estratégia é dominar a posse de bola à espera de uma chance para finalizar. Michel diz que é preciso compreender que cada técnico tem a sua característica.

- Eu trabalhei com muitos treinadores. Lógico, muitas vezes a gente acha que não se deve mudar time que está ganhando, mas você tem de confiar no treinador que está chegando. Cada treinador tem sua forma de trabalhar. O Cuca tinha a forma dele, o Eduardo tem a dele. Eu sempre tentei dar confiança para o treinador que está chegando e colocando seu trabalho. Eu, por exemplo, não estava aqui ano passado, então é difícil para mim falar se foi bom mudar ou não, mas pelo que eu vejo os jogadores que já estavam aqui estão dando bastante confiança ao Eduardo - declarou.

As críticas a Eduardo Baptista ganharam força no fim do primeiro tempo, quando a organizada gritou "ô, Eduardo, preste atenção! Essa torcida quer gritar 'é campeão'", além de entoar o nome de Cuca. O restante do estádio vaiou. Apesar da impaciência precoce, Michel é só elogios aos palmeirenses.

- Sinceramente, a torcida é uma das coisas que mais me surpreenderam desde minha chegada. Ver os palmeirenses me parando na rua, elogiando minha chegada. Nas redes sociais, então, é muito satisfatório ver o tanto que o palmeirense me acolheu. Basta a mim retribuir isso. Eu sei que talvez se tivesse alguma negação dos torcedores, não digo que seria normal, mas teria que compreender. Mas está sendo bastante positivo e fico feliz por isso - concluiu.

O Palmeiras agora encara o Linense, às 17h de domingo, fora de casa, pela quarta rodada do Paulistão.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade